terça-feira, 3 de maio de 2011

O SAL

O sal que tempera minha boca,

Salga por de mais o gosto de sua ausência.
O salgado sabor que persiste em minha mente,
Que vasculha por todos os cantos doces lembranças.

O sal que me banha e tira todo peso do meu corpo.
Salga minha cabeça que quase fico insuportável.
O salgado sabor que insiste em minha mente,
Que procura por todas as frestas doces lembranças.

O sal que tempera meu alimento já não dá gosto.
Salga apenas minha alma faminta do seu afeto.
O salgado sabor que preserva em minha mente,
Que já não busca por doces recordações.

O sal cristalino, cândido e quase puro.
Salga tudo que vejo e toco ao meu redor.
O salgado sabor que mora em minha mente,
Que já não busca, caça uma forma de te esquecer.

Um comentário:

  1. Hum!!! Quer dizer que tenho um irmão poeta?! Adorei.
    Bjs

    ResponderExcluir