domingo, 4 de setembro de 2011

Abandono


Chicoteado freneticamente
Pelas costas fui atingido
Feridas expostas ao vento
Insetos pousando na cicatrizes
O Sangue havia escorrido.

A dor já anestesiada
Suas feridas mal curadas 
A carne putrefata 
E já infectada
Convida aves negras
Em busca da carniça

Em decomposição
Meu ser esvaece
Bicos me bicam
Meu corpo desaparece

O cheiro espalhando
O sangue secando
O coração
Não batendo mais

A dor adormeceu
Meu corpo esvaeceu
Meu amor esquivou
Minha alma
Abandonou.

Sonhos destruídos
Ideais desconstruídos
Sentimentos corrompidos
O corpo comido
E o coração desprezado
O total abandono
Está concluído.

Um comentário:

  1. Prontoooo
    eu sempre venho aqui!!!!
    seus textos sao otimos.
    abraços

    ResponderExcluir